Suriname sonha em disputar uma Copa do Mundo em meio a injeção de qualidade: “Isso dará esperança ao país”

 Suriname sonha em disputar uma Copa do Mundo em meio a injeção de qualidade: “Isso dará esperança ao país”

“Este é um momento histórico para o futebol de Suriname. E também para mim, especialmente, pois estou ansioso por isso há muito tempo” é dessa forma que Dean Gorré descreve o momento em que o futebol de Suriname está vivendo.

Durante anos, o treinador nascido em Paramaribo, trabalhou em um impulso de qualidade para a seleção de Suriname, a fim de realizar um grande sonho do seu povo: disputar a Copa do Mundo de 2022, no Catar.

Nesta quarta-feira, Suriname jogará contra as Ilhas Cayman no primeiro desafio das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. E com um elenco muito mais forte que nas últimas edições das eliminatórias.

Ryan Donk, Damil Dankerlui, Ramon Leeuwin e Diego Biseswar, esses são alguns dos nomes convocados por Dean Gorré que aceitaram o desafio de ajudar Suriname a disputar a próxima Copa do Mundo.

Dean Gorré ficou responsável por montar a primeira seleção da história do Suriname com atletas que atuam na Europa.

“A muito tempo estamos trabalhando para tornar isso realidade. O nosso projeto está saindo do papel” completou Dean Gorré.

Com passagens por Feyenoord, FC Groningen e Ajax na Holanda, enquanto jogador, Dean Gorré mora atualmente em Paramaribo, onde se encontrou com os convocados e se prepara para os primeiros jogos de Suriname nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

“As pessoas falam comigo quando eu ando pela rua. O país inteiro se solidariza. Infelizmente, eles não poderão vim ao estádio e nos apoiar, mas os jogos serão transmitidos pela televisão” disse Dean Gorré.

E não é apenas na população de Suriname que Dean Gorré recebeu apoio para essa nova caminhada com a seleção.

“Nós recebemos apoio de todas as partidas. Ex-jogadores como Ruud Gullit, Frank Rijkaard e Patrick Kluivert, além de jogador que estão em atividade como Georginio Wijnaldum e Virgil van Dijk. Eles mandaram mensagens de apoio e dizendo que espera nos encontrar no próximo ano no Catar”

Um dos primeiros convocados a falar sobre a sensação de defender Suriname, foi Damil Dankerlui que atua no FC Groningen.

“Estou muito orgulho do que estou vivendo com o Suriname. Eu tenho certeza que todos que estão aqui já estão de alguma forma entrando para a história do futebol daqui. Minha mãe certamente estará muito orgulhosa de mim” disse o defensor do Exército Verde-e-Branco.

Na noite da última segunda-feira, os jogadores que atuam na Europa chegaram a Suriname, vindo de um voo que saiu do aeroporto internacional de Amsterdã, o Schiphol. Essa viagem saindo da Holanda, inicialmente, causou uma série de problemas par ao segundo jogo, sábado, contra Aruba.

A seleção de Aruba manda seus jogos nos Estados Unidos, pois nenhum estádio no país atende os requisitos mínimos da FIFA. E nos Estados Unidos, por causa das medidas contra o COVID-19, nenhuma pessoa que esteve em um país Schengen nos últimos 14 dias tem autorização para entrar em solo norte-americano.

Dean Gorré tem trabalho com sua comissão técnica nos últimos dias para conseguir uma exceção para seus jogadores e conseguiram uma resposta positiva dos Estados Unidos.

“Os nossos jogadores estão na embaixada norte-americana aqui em Suriname para conseguir a liberação em exceção para atletas profissionais. Estou muito feliz que conseguimos isso” completou Dean Gorré.

Caso Dean Gorré não conseguisse essa liberação, só iria conseguir entrar nos Estados Unidos com Kelvin Leerdam que atua na MLS (Major League Soccer).

Apenas ontem, Dean Gorré conseguiu treinar com todos os convocados.

Confira também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *