Feyenoord 2x1 PSV

Feyenoord consegue vencer e reduzir bastante as chances do PSV na Eredivisie

Tecnologia garante vitória do Feyenoord em cima do PSV

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Em um dos jogos mais aguardados da rodada, o Feyenoord iria receber o PSV dentro do De Kuip, e tinha a missão de vencer a equipe de Eindhoven para continuar no topo da tabela sem ser incomodado por ninguém. Até o Ajax estaria de olho nessa partida, afinal de contas, uma derrota ou até mesmo um empate do Feyenoord, facilitaria demais a vida do Ajax, que vencendo seu confronto, ficaria ainda mais próximo do clube de Roterdã.

Antes mesmo da partida, Giovanni van Bronckhorst teria que tomar uma decisão complicada. O treinador do Feyenoord teria que optar ou pela experiencia de Dirk Kuyt ou pela intensidade que Jens Toornstra poderia lhe dá durante a partida, principalmente no começo do jogo. O comandante optou por ter a juventude de Jens Toornstra. O treinador apostou muito bem, porque viu no jovem camisa 28, a intensidade que a equipe precisava para impor seu ritmo de jogo, diante de um PSV calejado de uma temporada nada interessante.

Primeiro Tempo

A partida começou com a torcida do Feyenoord empurrando sua equipe para cima do PSV, e logo aos 06 minutos, em excelente triangulação entre Steven Berghuis, Jens Toornstra e Nicolai Jørgensen, o camisa 09 ficou de frente para Jeroen Zoet, em lance bastante polêmico. Mas Zoet se agigantou para cima do centroavante do Feyenoord, e defendeu o primeiro perigo de gol dos donos da casa. Novamente Steven Berghuis e Nicolai Jørgensen seriam protagonistas de mais um lance de perigo. Aos 07 minutos, Steven Berghuis cobra a falta colocando a bola bem baixinha na pequena área do PSV, e de peixinho Nicolai Jørgensen chega para tentar finalizar de cabeça para o gol, mas o centroavante não encontrou a bola na hora da finalização, e ela morreu na linha de fundo, tirando tinta da trave de Zoet.

O primeiro gol não demorou muito para acontecer. Aos 08 minutos, depois de duas belas chances, o Feyenoord chegou ao seu primeiro gol. Terence Kongolo tabelou com Eljero Elia na lateral de campo e ganhou na velocidade para a defesa dos Boeren, o camisa 04 chegou na linha de fundo e cruzou rasteiro para a entrada de Jens Toornstra na grande área, a aposta de Giovanni van Bronckhorst teria surtido efeito, o camisa 28 já adentrou na grande área finalizando no canto superior esquero de Zoet, sem chances para o goleiro da seleção holandesa.

Phillip Cocu teve que começar a trabalhar cedo na partida, isso porque com apenas 36 minutos de jogo, Marco van Ginkel teria pedido para sair de campo. O atleta tinha sofrido uma entrada pesada de Steven Berghuis aos 19 minutos. Marco van Ginkel conseguiu ficar no campo por mais uns 15 minutos, até começar a sentir fortes dores no local da pancada, então Phillip Cocu teve que acionar Steven Bergwijn para entrar no lugar de Van Ginkel.

O PSV passou toda a primeira etapa sem levar nenhum susto para os donos da casa. No finalzinho do primeiro tempo, tivemos um lance polêmico, um possível pênalti para o PSV. Davy Pröpper tocou para Gastón Pereiro que saiu de frente para Brad Jones, mas Terence Kongolo não permitiu que o uruguaio finalizasse, derrubando ele dentro da grande área. O árbitro da partida, mandou seguir o jogo, porque no seu entendimento, nada teria acontecido, apenas mais um lance normal.

Segundo Tempo

No começo da segunda etapa, nada havia mudado, e o Feyenoord continuava indo para cima. Aos 46 minutos, Eljero Elia aplicou um lindo elástico para cima de Santiago Arias, que deve estar procurando a bola até agora. O camisa 11 do Feyenoord cruzou rasteiro, a bola passou por toda a pequena área do PSV, sobrando para Jens Toornstra chegar juntando novamente, mas dessa vez sua finalização parou na defesa dos Boeren.

Outro lance polêmico na partida. Aos 47 minutos, Nicolas Isimat-Mirin errou completamente a saída de jogo, Jens Toornstra interceptou o passe e tocou imediatamente para Eljero Elia, que invadiu a grande área e quando percebeu a presença de Santiago Arias fazendo uma carga nas suas costas, ele desabou no chão, mas o juiz novamente não marcou nada.

Quase que o brasileiro Eric Botteghin deixava sua marca na partida, quando em cobrança de escanteio aos 53 minutos, a bola foi na cabeça do zagueiro brasileiro, que não precisou nem sair do chão para finalizar, e para a sorte dos Boeren, Santiago Arias estava em cima da linha para impedir o segundo gol dos donos da casa.

O PSV não era o melhor na partida, mas não desistiu quando tinha a bola no pé de chegar ao gol do empate, prova disso foi quando aos 61 minutos, Santiago Arias roubou a bola no meio de campo, tocou para Davy Pröpper que de calcanhar tocou para Gastón Pereiro, o camisa 07 dominou, ajeitou para a perna esquerda, e mandou um belo chute colocado no canto direito do goleiro Brad Jones, que nada conseguiu fazer para evitar o gol do empate.

O golpe do gol do empate foi duro demais para o Feyenoord, e todos no De Kuip estavam na expectativa do que o time iria fazer para não deixar se abater e sair de campo com um ponto. Então, a equipe se lançou ao ataque em busca do segundo gol. Aos 68 minutos, Steven Berghuis teve a chance para matar o jogo, quando ficou de frente com Jeroen Zoet, na hora de finalizar, o camisa 19 tirou demais do goleiro, tanto que a bola bateu na trave e saiu, levando todo o De Kuip a loucura.

O PSV também teve a chance de matar o jogo, quando aos 77 minutos, Steven Bergwijn recebeu a bola já na frente da grande área, dominou no peito e entrou na grande área, para sua sorte Eric Botteghin escorregou no lance, e ele teve ainda mais tranquilidade para dominar e finalizar, o problema é que Rick Karsdorp veio como um foguete para acabar com a grande oportunidade do PSV na partida. O esforço foi tanto, que após esse lance Rick Karsdorp saiu lesionado, dando espaço para Bart Nieuwkoop.

E faltando exatos 09 minutos para o fim da partida, o lance que decidiu o clássico e que eliminou mais um concorrente para a briga pelo título. Cobrança de escanteio, Nicolai Jørgensen desviou no primeiro pau a bola, e na sequência, Jan-Arie van der Heijden brigou mais que a defesa do PSV para conseguir finalizar de cabeça, e com a ajuda da tecnologia o juiz validou o gol dos donos da casa. A bola entrou, mas se não fosse a tecnologia para desvendar essa situação, dificilmente o Feyenoord teria conseguido ter seu gol validado naquele momento.

Confira abaixo o lance decisivo da partida:

No finalzinho da partida, aos 91 minutos, Nicolai Jørgensen teve a chance de matar o jogo quando em rápido contra-ataque, ele ficou no mano a mano com Santiago Arias, mas o centroavante tentou tirar o uruguaio da jogada e finalizou, a bola subiu demais e foi para a linha de fundo.

Após esse lance, festa no De Kuip, porque poderemos dizer que essa partida deixou o Feyenoord em uma situação muito confortável na competição.

Entrevistas

Após o final do jogo, Jens Toornstra falou sobre a tecnologia da linha do gol, ferramenta que ajudou demais sua equipe a sair com a vitória diante do PSV diante de sua torcida.

“Quando eu vi o lance de imediato, pensei que a arbitragem não iria dá o gol, fiquei revoltado no momento, porque eu tinha visto que a bola tinha entrado. Quando vi ele apontando para o relógio e validando o gol, nossa senhora, você não tem noção do tamanho da felicidade que tive”

Giovanni van Bronckhorst teve que fazer uma escolha complicada antes de começar a partida, definir se Dirk Kuyt ou Jens Toornstra começaria a partida, mas pelo que aconteceu durante os 90 minutos, não fica dúvidas que o treinador fez a melhor escolha possível.

Jens Toornstra falou sobre essa situação e sobre o psicológico da equipe após tomar o gol do empate.

“Durante toda semana, Gio já demostrava ter essa dúvida. Eu respeitei demais, até porque o cara que estava concorrendo comigo pela oportunidade de começar jogando era o mito Dirk Kuyt, eu não poderia falar nada, só trabalhar e esperar a decisão do treinador. Ele optou por mim, então tive que correr dobrado, porque sabia que qualquer coisa de errado que eu fizesse, Kuyt iria entrar rapidamente. Espero ter conseguido agradar Gio. Em relação ao gol que tomamos, quando sofremos esse gol, ficamos extremamente abalado, mas a nossa torcida começou a gritar nossos nomes, empurrar o time, não tinha como ficarmos de cabeça baixa, esse foi o combustível necessário que todos nós precisávamos após tomar o gol, então continuamos buscando o gol a todo momento, até que Deus presenteou nossa equipe”

Quem também acabou falando com a imprensa holandesa foi Luuk de Jong, o centroavante do PSV reclamou bastante do lance.

“O quão confiável é essa tecnologia? Naquele momento, ficamos reféns daquela situação, se a bola não entrasse complemente? Acho que é importante rever toda essa ferramenta para que não prejudique as equipes, principalmente nesses jogos decisivos demais”

Mas ao longo da entrevista, o centroavante foi se acalmando, e falou sobre como ficaria a situação da equipe na competição.

“Não podemos abaixar a cabeça, temos que continuar trabalhando, precisamos acreditar em nosso futebol. Claro e evidente que tudo ficou ainda mais complicado, mas não podemos deixar o nível do nosso futebol cair. Esse título seria um prêmio de consolação para a nossa torcida, que tanto sofreu nessa temporada”

Giovanni van Bronckhorst teve que falar após o jogo na coletiva de imprensa. O treinador do Feyenoord foi questionado demais sobre as chances do PSV e sobre o possível título da Eredivisie.

“É importante que ressaltemos aqui, ainda não ganhamos nada. Estamos muito próximo disso, mas precisamos continuar jogando da mesma forma que estamos atuando. Na próxima rodada teremos um clássico contra o Sparta, e sabemos o quão importante são esses jogos. Estamos com uma diferença de pontos muito boa sobre o PSV, mas se o nosso rendimento dentro de campo cair, o PSV poderá encostar novamente”

E como não seria diferente, Giovanni van Bronckhorst foi questionado demais sobre a tecnologia da linha do gol.

“Na minha época não tínhamos essa ferramenta tão importante. Acredito que seja uma evolução enorme, principalmente para o futebol holandês, que foi uma das poucas ligas que aceitou testar essa tecnologia durante a competição. Ponto para a nossa federação que teve a coragem de implementar isso nos clubes da Eredivisie. No lance do nosso jogo, acho que dificilmente seria marcado gol, porque foi complicado demais a jogada, e analisar em poucos segundos a olho nu, fica ainda mais difícil”

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: