Player Profile

Roy Makaay

Atacante

Nationality :Holandês
Date Of Birth :9 de março de 1975
Height :
Weight :
  • ATAPosition
  • Games Played
  • Minutes Played
  • Starts
  • Substitution On
  • Substitution Off
  • Passes
  • Passing Accuracy
  • Passing Accuracy opp. Half
  • Duels Won
  • Duels Lost
  • Duels Won (%)
  • Aerial Duels Won
  • Aerial Duels Lost
  • Aerial Duels Won (%)
  • Recoveries
  • Tackles Won
  • Tackles Lost
  • Tackles Won (%)
  • Clearances
  • Blocks
  • Interceptions
  • Penalties Conceded
  • Fouls Won
  • Fouls Conceded
  • Yellow Cards
  • Red Cards
  • Goals
  • Penalty Goals
  • Minutes Per Goal
  • Total Shots On Target
  • Total Shots Off Target
  • Shooting Accuracy
  • Successful Crosses
  • Unsuccessful Crosses
  • Successful Crosses (%)
  • Assists
  • Chances Created
  • Penalties Won
  • Offsides

Roy Makaay é um ex-jogador holandês. Atleta de muito sucesso aonde passou, um centroavante rápido, forte no jogo aéreo e com força nas duas pernas para mandar sempre bons chutes, dificultando demais a vida dos goleiros adversários.

Makaay se aposentou no final da temporada 2009/10, quando passou apenas uma temporada no Feyenoord.

O Início

Roy Makaay começou sua carreira como jogador profissional no Vitesse, aonde marcou 42 gols em 109 jogos. Atingindo essa boa marca, chamou atenção do futebol espanhol, aonde o Tenerife desembolsou 10 milhões de euros para tirar o centroavante de Arnhem e levar para Santa Cruz de Tenerife.

Ele deixou a Holanda em 1997. Passou duas temporadas com o Tenerife, e na temporada 1998/99, a sua equipe foi rebaixada, mas ele chamaria a atenção do Deportivo La Coruña. O clube foi rebaixado, mas ele permaneceu na elite do futebol espanhol.

Ele chegou na temporada 1999/00 ao La Coruña, e viveu sua primeira temporada no clube, de forma mágica. Roy Makaay ajudou ao La Coruña a conquistar o seu primeiro título espanhol e garantir uma vaga para a Champions League da temporada seguinte. Ele marcou 22 gols na sua primeira temporada vestindo a camisa do clube, o problema foram as duas temporadas seguintes, aonde ele marcou apenas 08 gols em toda a temporada, mas vale lembrar que as lesões durante esse período, prejudicou demais sua carreira.

Em sua última temporada de contrato com o clube espanhol, ele voltou a ser o centroavante que todo clube queria ter. Marcou 29 gols e ganhou o prêmio Pichichi. Para quem não conhece, o Prêmio Pichichi é entregue ao jornal “Marca”, ao artilheiro da temporada na La Liga.

Sua última temporada no Deportivo La Coruña, lhe rendeu um contrato sensacional com o maior clube alemão, o Bayern de Munique. O clube desembolsou 17 milhões de euros para tirar o centroavante holandês da Espanha e lhe levar para a Alemanha.

Com um contrato de quatro temporadas assinado, Roy Makaay sabia que teria o maior desafio de sua carreira. Deixar seu nome gravado entre os maiores e melhores centroavantes que vestiram a camisa de um dos maiores clubes do mundo, o Bayern de Munique.

Já tinha virado costume na carreira de Roy Makaay, em qual clube ele chegasse, ele iria conseguir gravar seu nome de imediato entre os 11 titulares. Na sua primeira temporada (2004/05), ele demostrou toda a sua qualidade ao marcar 22 gols e dá 14 assistências, em apenas 33 jogos. Nessa temporada, o Bayern de Munique teria feito a “dobradinha”, levantando a Copa da Alemanha e o Campeonato Alemão.

Na temporada seguinte, ele marcou 17 gols, e viu sua titularidade ameaçada. No dia 21 de agosto de 2006, Roy Makaay marcou o gol de número 3000 do Bayern de Munique na Bundesliga. No ano seguinte, mais especificamente no dia 31 de março, ele marcou seu gol de número 100 pelo clube alemão. Roy Makaay gostava de atingir marcar, e mais dessas tantas que ele obteve em sua carreira, foi no mês de março, mais precisamente no dia 7, quando marcou o gol mais rápido da história da UEFA Champions League. O adversário não era qualquer um, era nada mais, nada menos do que o Real Madrid.

Com a chegada de Luca Toni e Miroslav Klose, Roy Makaay viu seu espaço dentro do clube ir diminuindo. Com isso, ele optou por deixar a Alemanha e retornar para seu país natal, a Holanda.

O Feyenoord viu uma bela oportunidade de contar com um excelente centroavante em seu elenco, então mandou uma proposta para o Bayern de Munique, que consistia em 5 milhões de euros para liberar o atacante holandês. A diretoria do clube alemão não pensou duas vezes, e liberou o atleta para retornar para a Holanda.

Ele chegou ao Feyenoord em 2007, assinou um contrato de três temporadas com o clube, e no final da temporada 2009/10, informou que iria encerrar sua carreira como jogador profissional. Em seu último jogo como atleta profissional, ele marcou um hat-trick com a camisa do Feyenoord diante do SC Heerenveen pela Eredivisie.

Seleção Holandesa

Em 1996, ele foi convocado pela Holanda, para atuar com a camisa do seu país. Ele estreou nesse ano, contra País de Gales, em uma vitória por 3×1.

Chegou a disputar a Eurocopa de 2000 e 2004, sendo uma das principais peças do elenco holandês nessas duas competições. Em 2006, ele não foi convocado por Marco van Basten, até porque ele vinha de uma temporada fraquíssima, então Van Basten tinha motivos de sobras para não convocar o atleta.

Em 2008, ele foi convocado para ajudar a Holanda nas Olimpíadas, e nessa ocasião, ele foi selecionado como um dos jogadores com mais de 23 anos. Na época, ele tinha 33 anos.