PSV 1x2 Bayern de Munique

PSV tentou, mas o time alemão superou a forte defesa holandesa

Mesmo saindo na frente, o PSV não conseguiu segurar o Bayern dentro de casa

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

psv-eindhoven-1x2-bayern-de-munique-placar

Nessa terça, tivemos o começo da quarta rodada da Champions League, e em casa o PSV Eindhoven apostava suas fichas em uma vitória diante do Bayern de Munique para continuar vivo na competição continental. Mas não deu para o time de Phillip Cocu, que mesmo demostrando mais futebol e resistindo muito mais do que no jogo na Alemanha, perdeu diante de seus torcedores por 2×1. Agora, o único objetivo possível que resta a equipe holandesa, é buscar a terceira colocação e consequentemente cair na fase de mata-mata da Liga Europa.

Essa resistência se deu, muito pela alteração no esquema de jogo que Phillip Cocu fez, tirou o time do 4-3-3 que tinha atuado na Alemanha, aonde perdeu por 4×1, e voltou ao velho 3-5-2, com Daniel Schwaab atuando como zagueiro da cobertura. A outra alteração feita no time, foi no gol, isso porque Jeroen Zoet sofria ainda de uma lesão muscular, então Remko Pasveer ganhou a oportunidade de ajudar o time dentro de campo.

Mesmo com um time mais conservador, o PSV sabia que tinha pela frente uma equipe muito superior tecnicamente, e que teria que se superar para conseguir ao menos sair de campo com um ponto. A brincadeira para o Bayern começou log aos quatro minutos de jogo, quando Robert Lewandowski mandou uma finalização de cabeça no travessão. Isso já foi um alerta ao time holandês. Para evitar levar tanta pressão, Phillip Cocu pediu que seu time tentasse ficar mais com a bola, mesmo que não conseguisse criar as jogadas, mas que trocasse passes e tentasse achar espaços, e foi isso que a equipe holandesa foi fazendo durante boa parte do jogo, principalmente quando o placar ainda não tinha sido alterado.

O PSV tinha nos pés de Davy Pröpper e Bart Ramselaar esperanças de conseguir fazer algo de surpreendendo, para chegar ao menos ao primeiro gol. Isso deu resultado, porque aos 14 minutos, aconteceu o que todos no Phillips Stadion não esperavam. Ramselaar avançou pela direita, cruzou, e Pröpper desviou de cabeça. Manuel Neuer ainda conseguiu rebater, mas Santiago Arias aproveitou a sobra para fazer 1 a 0. Será que esse gol seria o impulso necessário para que o time holandês conseguiu sair de campo com a vitória?

Infelizmente, isso não foi o suficiente. O Bayern tinha em mente que dificilmente iria conseguir penetrar na defesa do PSV se não fosse com organização e troca de passes, até porque era três zagueiros protegendo a meta do goleiro Remko Pasveer e ainda tinha três meias que ficavam na frente da defesa para não deixar a bola passar, uma verdadeira parede holandesa. Mas o time alemão, inteligentemente, começou a ter mais a posse de bola e rodar mais o jogo, e em algum momento a defesa iria vacilar, era isso que o Bayern precisava. E o erro que tanto eles procuravam aconteceu, primeiro quando Arjen Robben cruzou na medida para novamente ele, Robert Lewandowski finalizar de cabeça e mandar na trave. Aos 34 minutos, mais um lance polêmico, e foi desse lance que originou o gol dos alemães. Philipp Lahm tocou a bola para Joshua Kimmich na direita, o meia desviou a bola que encontrou dentro da área a mão de Andrés Guardado, o juiz Gianluca Rocchi não pensou duas vezes e marcou penalidade máxima, tudo que o Bayern queria para desestabilizar o time holandês. Na bola, Robert Lewandowski bateu e deixou tudo igual novamente.

O gol acabou abalando o PSV, que ficou ainda mais recuado, esperando o time alemão atacar, para quem sabe conseguir contra-ataques. O problema é: Como parar um time que tinha 70% da posse de bola? Tudo bem que o empate, ainda mantinha o sonho de brigar por uma vaga na próxima fase vivo, mas foi complicado segura o Bayern, que com menos intensidade foi completamente para cima do PSV, e foi conseguindo criar chances de virar o jogo.

Arturo Vidal e David Alaba tentaram com chutes de longa distância, mas Remko Pasveer estava atento nos lances e conseguiu evitar o segundo gol do Bayern naquele momento.

Inteligentemente, Carlo Ancelotti acionou em seu banco, o atacante Douglas Costa que entrou no lugar de Arjen Robben (saindo sob fortes aplausos pela torcida do PSV). O treinador italiano entendeu que era necessário jogar com a bola no chão, porque nas jogadas áreas o time holandês estava ganhando todas. E aos 74 minutos, saiu o gol da virada, quando Douglas Costa passou facilmente por Héctor Moreno e cruzou para Robert Lewandowski marcar o segundo do Bayern e o segundo dele na partida.

Após o jogo Luuk de Jong falou:

“Esse Bayern é grande demais para a gente”.

O que serve de consolo para o time de Eindhoven é que o Rostov da Rússia perdeu nos acréscimos para o Atlético de Madrid na Espanha, resultado fundamental para que na última rodada ambos decidam a vaga para a Liga Europa no Phillips Stadion.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: